sexta-feira, 23 de maio de 2008

'Não se mate de trabalhar, tentando ficar rico, nem pense demais nisso. Pois o dinheiro pode sumir de repente, como se tivesse criado asas e voado para longe como uma águia'. (Provérbios 23-7)

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Em paz me deito e logo adormeço, porque só tu, Senhor, me fazes viver em segurança. Sl 4:8

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Presidente do TRE-RJ expõe ao ministro Carlos Ayres Britto tese sobre inelegibilidade de candidatos com folha corrida suja

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, recebeu em audiência nesta noite (20) o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do estado do Rio de Janeiro (TRE-RJ), desembargador Roberto Wider. O desembargador veio expor a tese, por ele defendida e apoiada pelo TRE fluminense e outros TREs, de que a Justiça Eleitoral deve negar o registro de candidatura de políticos com vida pregressa incompatível com os princípios da moralidade.

O ministro Ayres Britto disse que o TSE poderá rediscutir essa questão quando receber recursos contra eventuais decisões dos TREs. Ele lembrou que o tribunal decidiu de forma contrária, em 2006, quando ele próprio votou para manter fora da disputa candidatos com esse perfil, mas ele integrou a corrente minoritária. O presidente do TSE ressaltou que não tem antecipado o voto que dará. "Tenho falado sobre esse tema sempre na forma de questionamento.
"O ministro lembrou que a Constituição brasileira, ao se referir a candidatos, recolheu na origem da palavra o termo cândido, de onde se deduz que aqueles que se lançam em busca de mandatos populares devem ter a qualidade de pureza, de nobreza de ideais. O ministro lembrou que qualquer servidor público depende da análise de sua folha corrida para começar a exercer o cargo.
Posição do TRE-RJO
O presidente do TRE fluminense informou que o critério que irá prevalecer, já nas eleições municipais deste ano, naquele tribunal será o de que “pessoas que notoriamente não ostentem condições de legitimidade para exercerem um cargo eletivo não podem ser candidatos, ou seja, eles tem que ter o requisito de moralidade para o exercício de um mandato, observada sua vida pregressa”. Ele lembrou que esse critério não diz respeito a casos simples, mas apenas aqueles que possuam uma conduta desviada, que não recomenda que eles possam ser candidatos ou exerçam um mandato eletivo.

Para Wider, o princípio da presunção da não-culpabilidade é um direito fundamental do indivíduo que diz respeito à área penal. Na área eleitoral, segundo o desembargador, deve prevalecer o interesse coletivo, com a garantia de ampla defesa.


O desembargador informou que já são cerca de 17 Tribunais Regionais que apóiam a tese por ele defendida, para que os critérios já sejam aplicados nas eleições de outubro de 2008.

IN/MM

terça-feira, 20 de maio de 2008

TSE tira dúvidas de partidos sobre arrecadação de recursos e prestação de contas

De acordo com estimativa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cerca de 400 mil candidatos deverão concorrer a uma vaga de prefeito ou vereador no pleito de 5 de outubro deste ano. Em conseqüência, esse também deve ser o número de prestações de contas que a Justiça Eleitoral vai receber, tendo em vista que cada candidato e cada comitê financeiro têm de informar o que arrecadou e como gastou os recursos durante a campanha.Com o objetivo de orientar os partidos quanto às regras de arrecadação e gastos, e evitar possíveis erros na prestação de contas, o secretário interino de Controle Interno e Auditoria e Coordenador de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias, Wladimir Caetano, recebeu 19 representantes dos 27 partidos convidados na manhã desta terça-feira (20) e explicou as principais regras da Resolução 22.715/08 do TSE que disciplina a prestação de contas.


Durante a reunião, que foi aberta pelo presidente do TSE, ministro Carlos Ayres Britto, o secretário ressaltou a obrigatoriedade da movimentação financeira ser feita por meio de conta específica para a arrecadação de recursos . Wladimir Caetano lembrou que os técnicos do TSE estão à disposição dos partidos que necessitarem de maiores esclarecimentos telefones: 3316 3460/3216 3637/3316/3383. Os partidos também podem acessar a íntegra da Resolução 22.715/08. No encontro foram esclarecidos os seguintes temas:


CNPJ


Os candidatos e os partidos só podem realizar movimentação financeira por meio de conta bancária específica para esse fim. Para a abertura dessa conta é necessária a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), cujo número será fornecido pela Secretaria de Receita Federal e disponibilizado na página do TSE na internet.


O candidato não precisa se dirigir à Receita Federal (SRFB) para obter o CNPJ. O TSE vai enviar os dados do candidato registrado ao órgão, que vai gerar a inscrição em 48 horas, após o seu recebimento na SRFB. Para a liberação do CNPJ, o candidato deve estar com a sua situação cadastral regular junto à Receita.


Os Tribunais Regionais Eleitorais vão informar em suas páginas na internet quais candidatos não conseguiram o CNPJ devido a alguma irregularidade no pedido. Após a regularização dos dados, o reprocessamento será feito em sete dias. Por ser específico para as eleições, este CNPJ vai ser cancelado em 31 de dezembro de 2008.


Conta específica


A conta bancária para registro do movimento financeiro da campanha tem de ser aberta até 10 dias da concessão do CNPJ. De acordo com o Banco Central, há agências bancárias ou congêneres contratados em todos os municípios brasileiros.


Recibos Eleitorais


Toda doação efetuada a candidato ou a comitê financeiro, inclusive os recursos próprios, deve ser realizada mediante a emissão do correspondente recibo eleitoral, único documento hábil a legitimar as doações recebidas.


A confecção e distribuição dos recibos é de competência da direção nacional do partido, que pode delegar esta atribuição aos diretórios estaduais, ficando no entanto, com o controle da numeração.


O secretário lembrou que é importante a direção nacional dos partidos calcular a quantidade de recibos eleitorais a ser impressos, tendo em vista que os que não forem distribuídos aos comitês financeiros terão de ser enviados ao TSE até 25 de novembro de 2008.O Sistema de Recibos eleitorais (SRE) deverá ser baixado da página do TSE na internet a partir de 30 de junho. A falta de recibos eleitorais pode levar à não aprovação da prestação de contas, face à impossibilidade de indentificação da origem da doação.


Comitê financeiro


Deve ser constituído até dez dias úteis após a escolha dos candidatos do partido em convenção e registrado junto ao juiz eleitoral até cinco dias após a sua constituição. O partido é quem determina a quantidade de membros do comitê, porém é obrigatória a designação de, no mínimo, um presidente e um tesoureiro.


Os partidos podem optar pela criação de um único comitê, compreendendo as eleições de prefeito e vereador de determinado município, ou um comitê para cada eleição (prefeito e vereador) em que o partido apresente candidato próprio.


As atribuições do comitê são, dentre outras: arrecadar e aplicar recursos de campanha, distribuir os recibos eleitorais aos candidatos e elaborar e encaminhar ao juízo eleitoral a sua prestação de contas.


Arrecadação de Recursos


Os candidatos e comitês poderão iniciar a arrecadação de recursos apenas após o registro do candidato na Justiça Eleitoral, a obtenção do CNPJ, a abertura de conta específica e a obtenção de recibos eleitorais. A arrecadação pode ser feita até o dia da eleição. Independentemente do valor, todo recurso arrecadado, deve gerar a emissão de recibo eleitoral e, obrigatoriamente, transitar na conta bancária específica.


As pessoas físicas podem doar até 10% dos rendimentos brutos recebidos no ano de 2007. No caso de pessoa jurídica, o limite é de 2% do faturamento bruto do ano passado. Entidades ou governo estrangeiro, órgãos da administração pública direta, ou fundação mantida com recursos provenientes do poder público, além de outras elencadas no artigo 16 da Resolução 22.715/08 não podem fazer doações eleitorais.


Gastos Eleitorais


Os candidatos e comitês só podem realizar gastos após cumprirem as mesmas etapas exigidas para arrecadação de recursos. O artigo 22 da Resolução 22715/08 caracteriza como gasto eleitoral, entre outros: confecção de material impresso de qualquer natureza e tamanho, propaganda e publicidade direta ou indireta, por qualquer meio de divulgação destinadas a conquistar votos, aluguel de locais para a promoção de atos de campanha eleitoral e despesas com transporte ou deslocamento de candidato e de pessoal a serviço das candidaturas.


Os documentos fiscais comprobatórios dos gastos eleitorais devem possuir a indicação do CNPJ de campanha eleitoral.


Prestação de Contas


Por determinação da Lei 11.300/2006, os candidatos e comitês devem apresentar prestação de contas parciais em 6 de agosto e 6 de setembro, discriminando os recursos em dinheiro ou estimáveis em dinheiro que tenham recebido para financiamento da campanha eleitoral e os gastos que realizarem até essas datas.


A prestação de contas final de vereadores e prefeitos que concorrem unicamente no primeiro turno , assim como dos respectivos comitês financeiros, deverá ser entregue à Justiça eleitoral até 4 de novembro deste ano. Já os candidatos a prefeito que concorrerem ao segundo turno e o comitê único que possuir candidato concorrendo no segundo turno deve prestar contas até 25 de novembro.


Em todos os casos, a prestação de contas deve ser entregue à Justiça Eleitoral por meio do Sistema de Prestação de Contas (SPCE2008) desenvolvido e disponibilizado pelo TSE. dentre outros documentos elencados no artigo 30 da Resolução 22.715/08, o candidato deve apresentar na prestação de contas final: o extrato bancário, o canhoto dos recibos eleitorais utilizados e, se houver, o comprovante do repasse das sobras financeiras e os documentos fiscais de gastos realizados com o Fundo Partidário.


Todos os candidatos, inclusive os que renunciarem ou desistirem da candidatura têm que apresentar sua prestação de contas. Qualquer partido político, coligação ou Ministério Público poderá representar à Justiça Eleitoral relatando fatos e indicando provas e pedir a abertura de investigação judicial para apurar condutas em desacordo com as normas de arrecadação e aos gastos de recursos. Comprovados a captação ou gastos ilícitos de recursos para fins eleitorais, será negado diploma ao candidato, ou cassado, se já tenha sido diplomado.


GA/MM


segunda-feira, 19 de maio de 2008

Reunião do PT do B em Itaquitinga

O Secretário Regional do PT do B, Gamaliel Marques, foi até o município de ITAQUITINGA, no dia 17 de maio, representando o Presidente Regional, Severino Belarmino, com os pré-Candidatos a Vereadores do Partido e o vice-Prefeito o Senhor Pietro.

Na ocasião foi proferida uma síntese sobre Lei de propaganda Eleitoral 2008. Reunião muito proveitosa, ficando marcada uma outra visita com o Presidente Regional na terça-feira, dia 20 de maio.

O PT do B tem um Vereador no município e dever eleger 02 (dois), consolidando o Partido em Itaquitinga.

Curiosidade Oriental (Ano do Rato)

Para os japoneses, o período não favorece os corruptos. Para coreanos e sul-coreanos, ano promete poucas guerras e menos catástrofes.
O ano do rato é um ano de abundância, trazendo a oportunidade e bons projetos. Será marcado pela especulação e pela flutuação nos preços dos produtos e do mercado mantido em estoque; a economia do mundo em geral crescerá. O negocio estará no auge, podem ser feitas fortunas e será fácil fazer planos de investimentos a longo prazo porque a penchinchas que o ano do rato traz servirá para os anos de quebra que podem seguir. Todos os riscos iniciados neste tempo serão bem sucedidos se as pessoas se prepararem bem. Entretanto, evite correr riscos desnecessários: o ano do rato é governado pela escuridão da noite. Aqueles que especularem indiscriminadamente e extravasarem virão a ter uma triste conta. Ao todo, este será um ano mais feliz do que a maioria: livre dos eventos e das guerras explosivas e com muito menos catástrofes do que, por exemplo, os anos do tigre ou do dragão.
Uma época genial que encontra na maioria de nós que socializamos e o que apreciamos.
Os anos do Rato são: 1996,1984, 1972, 1960, 1948, 1936...
As horas governadas pelo rato: 11 p.m. a 1 a. m.
Sentido do seu Signo: Diretamente para o Norte
Princípio da estação e mês: Inverno - Dezembro
Elemento fixo: Água
Haste: Positivo
Cor: Amarelo
Fragância: Madeira
Sabor: Ácido
Alimento: Arroz
Bebida: Cerveja
Flor: Lírio do Vale
Árvore: Salgueiro
Metal: Prata
Instrumento musical: Flauta
Dia do mês: 19 (dezenove)
Número: 11 (onze)

sábado, 17 de maio de 2008

Todas as cousas são lícitas, mas nem todas convêm; todas são lícitas, mas nem todas edificam. I Cor 10:23

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Presidentes do TSE e do Senado conversam sobre candidaturas de políticos com processos criminais

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), indagou hoje (15) ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto (foto), qual é a posição do TSE sobre a validade da candidatura de políticos com processos criminais pendentes.
Carlos Ayres Britto informou que, em 2006, o tribunal permitiu a candidatura de políticos com esse perfil, porque a maioria dos ministros entendeu que o princípio constitucional da não-culpabilidade se estende da área penal para a eleitoral. Porém ele lembrou que o tema poderá voltar à discussão neste ano com o surgimento de novos processos.
O presidente do TSE fez uma visita de cortesia ao presidente do Senado. Após a audiência, o ministro conversou com a imprensa sobre assuntos eleitorais e os processos que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a demarcação da reserva Raposa Serra do Sol, dos quais é relator.
Confira a íntegra da entrevista:
Tatiana Feitosa (Rádio 2): Ministro, quando deve sair a decisão do STF sobre Raposa Serra do Sol?
Ministro Ayres Britto: Todo o nosso empenho foi para que a decisão saísse agora em maio. Porém isso se tornou impossível, porque a Funai entrou na Ação Popular que estava madura para julgamento, a Funai entrou nos autos desse processo da Ação Popular pedindo para ser admitida como assistente da União e juntou uma tonelada de documentos.
De outro lado, o Estado de Roraima, também nos autos da Ação Popular, entrou com o mesmo pedido, para que o Estado seja admitido como assistente dos autores populares. Os senadores Mozarildo Cavalcanti e Augusto Botelho, também juntando outra tonelada de documentos. Então, nós vamos ter que processar esses pedidos, submetê-los, com os documentos, à apreciação do procurador-gral da República, e isso vai alongar o perfil do processo em pelo menos, 20, 25 dias.
Tatiana Feitosa ( Rádio 2): Qual a tendência da decisão?
Ministro Ayres Britto: Não se pode antecipar. O ministro está estudando, formatando o seu voto à luz da Constituição e o voto só pode ser proferido em sessão plenária.
Marcelo Freitas (BandNews FM) : Primeira quinzena de junho é um prazo factível?
Ministro Ayres Britto: Diante do que houve, não é irrazoável dizer que lá para 15, 16 de junho o processo esteja maduro. Porém, nunca é bom trabalhar com datas quando se trata de processos judicial, porque o processo é dinâmico e a imaginação das partes é pródiga. Mas é razoável supor que em meados de junho haja condições, se o processo voltar até essa data da Procuradoria-Geral da República.
Renata Giraldi (Folha Online): Presidente, ontem houve um conflito verbal e quase físico na Câmara dos Deputados em decorrência de uma discussão exatamente sobre Raposa Serra do Sol, e o senhor disse em sua primeira entrevista coletiva que o magistrado não é fechado em si mesmo, ele é influenciado pelo que ocorre no mundo externo.
Ministro Ayres Britto: O magistrado abre a sua mente e o seu coração para o mundo circundante, como não pode deixar de ser.
Renata Giraldi (Folha Online): Isso não dá um outro estímulo para o senhor trabalhar numa agilidade maior?
Ministro Ayres Britto: Sem dúvida. Tudo isso nos pressiona, no melhor sentido. Não se trata de faca no pescoço, mas nos pressiona para agilizar a tramitação desse processo. Esse é um processo extremamente complexo porque ele antagoniza muitos atores sociais, políticos, além dos atores processuais, naturalmente. É um divisor de águas. É uma causa muito complexa e muito relevante do ponto de vista político, social, antropológico e étnico.
Renata Giraldi (Folha Online): Ontem, a CCJ do Senado aprovou um projeto que seria terminativo, mas pode ser que ainda haja recurso para julgamento pelo plenário do Senado, sobre os candidatos que em primeira instância já foram julgados e condenados e teriam seus nomes divulgados durante a campanha eleitoral. Será que isso vai parar no TSE para pronunciamento do tribunal?
Ministro Ayres Britto: Certamente essas ações terminam no TSE, que é a instância superior da Justiça Eleitoral. Aguardemos.
Renata Giraldi (Folha Online): Isso pode ser positivo para o eleitor, saber de antemão que aquele candidato já passou por um julgamento?
Ministro Ayres Britto: Sem dúvida. Não há dúvida de que quanto mais se informa o eleitor quanto à biografia, o perfil e os precedentes do candidato, melhor para a formatação de um voto consciente. Sem dúvida, o eleitor precisa de informações.
Renata Giraldi (Folha Online): Quer dizer que o senhor é favorável?
Ministro Ayres Britto: Eu sou muito pela transparência. Como não se pode deixar de ser. Todo magistrado deve pugnar pela transparência, pela visibilidade, pela informação em plenitude e em qualidade.
Marcelo Freitas (BandNews FM): Ministro, já que estamos falando de eleição, a BandNews fez uma matéria esta semana, mostrando que o ministro da Previdência, Luiz Marinho, disparou 11 mil telefonemas de dia das mães para eleitoras de São Bernardo e ele pretende ser candidato a prefeito, de que forma o TSE pode fiscalizar ações como essa?
Ministro Ayres Britto: Como é caso concreto, o magistrado não deve se pronunciar. Certamente, fatos dessa natureza deságuam TSE, e então analisaremos, no devido tempo.
Marcelo Freitas (BandNews FM): O candidato precisa ter cautela, já que ainda estamos em uma fase pré-eleitoral?
Ministro Ayres Britto: Nesse época pré-eleitoral, a temporada de cassa ao voto ainda não começou formalmente, mas as tratativas, as gestões se desencadeiam de uma forma ou de outra. O TSE, desde o meu discurso de posse, antecipa que quer uma eleição pautada pela paridade, pela igualdade de armas no sentido de seduzir, convencer e de obter a preferência do eleitor.
O Tribunal pugna também para que os candidatos não assediem o eleitor a ponto de impedir a formulação de um juízo de valor sobre o mérito do candidato, portanto, livre e consciente. Esse papel informativo e didático é próprio da Justiça Eleitoral.

Fonte:http://www.tse.gov.br/sadAdmAgencia/index.jsp?pageDown=noticiaSearch.do%3Facao%3Dget%26id%3D1027361

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Candidatos com ficha criminal serão identificados pela Justiça

Texo determina ainda que seja informado que candidato citados não são considerados culpados.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira Projeto de Lei que obriga a Justiça Eleitoral a divulgar durante o período de veiculação da propaganda eleitoral no rádio e na televisão, os nomes dos candidatos que sejam réus em processos criminais ou que respondam a representações por quebra de decoro parlamentar.

O texto aprovado determina ainda que, ao iniciar e terminar o programa em que se dará a divulgação, a Justiça Eleitoral informará que os candidatos citados não são considerados culpados até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória ou até que o órgão legislativo conclua o processo. O projeto tinha caráter terminativo, mas o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), vai recorrer a plenário. Embora tenha votado favoravelmente à proposta, Virgílio defende alterações.

De autoria do senador Pedro Simon (PMDB-RS), o projeto recebeu parecer favorável do senador Jefferson Peres (PDT-AM). "O eleitor tem direito a saber a ficha criminal do candidato para escolher em quem vai votar", diz o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). O PSDB quer que a divulgação do candidato só seja feita depois que o processo for julgado em segunda instância.

Na mesma reunião, o presidente da CCJ, senador Marco Maciel (DEM-PE), marcou reunião para a próxima terça-feira (20), a partir das 14h, para a leitura do relatório do senador Valdir Raupp (PMDB-RO) sobre sete propostas de emenda à Constituição (PECs) que tratam de questões relativas ao pagamento de precatórios.

O senador César Borges (PR-BA) anunciou que pedirá a realização de audiência pública para discutir a matéria. O senador Antonio Carlos Magalhães Júnior (DEM-BA) disse que apoiará o requerimento para debater a proposta. Essa foi uma das principais reivindicações dos prefeitos durante a Marcha Nacional liderada pelo petista João Paulo, que deixa a Prefeitura do Recife no fim deste ano.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Pernambuco é o Estado da impuni- dade.

1.647 (hum mil seiscentos e quarenta e sete) homicídios, do dia 1º de janeiro até a presente data, são o que registra o site: http://www.pebodycount.com.br, sendo que 41 (quarenta e um) destes homicídios foram praticados neste final de semana.

Cadê o trabalho preventivo da Polícia? Infelizmente não existe, viajo o Estado todo e não encontro uma blitz, ou melhor, encontro fechando o cerco contra os trabalhadores do transporte alternativo.

O Governador EDUARDO CAMPOS já esqueceu do seu discurso de campanha, no qual se referia que diminuiria a impunidade, pois esta é uma alavanca para impulsionar a criminalidade. Não foram adotadas políticas transversais, visando este objetivo, nem uma política de Segurança Pública consistente. Outra questão importantíssima é a participação da sociedade, foi promessa do Governador de implantar um canal de participação direta, tipo Orçamento Participativo da Prefeitura do Recife, para definir as prioridades, é um Governo fechado, em um Palácio esquecendo que o POVO CLAMA POR JUSTIÇA.

Queremos saber até quando Governador vamos ter de agüentar esta situação?

terça-feira, 6 de maio de 2008

Calendário Eleitoral 2008 - Maio


7 de maio – quarta-feira (151 dias antes)


1. Último dia para o eleitor requerer inscrição eleitoral ou transferência de domicílio (Lei nº. 9.504/97, art. 91, caput).


2. Último dia para o eleitor que mudou de residência dentro do município pedir alteração no seu título eleitoral (Código Eleitoral, art. 46, § 3º, II c.c. o art. 91, caput, da Lei nº. 9.504/97 e Resolução nº. 20.166, de 7.4.98).3. Último dia para o eleitor portador de deficiência solicitar sua transferência para seção eleitoral especial (Lei nº. 9.504/97, art. 91, caput e Resolução nº. 21.008/2002, art. 2º).

segunda-feira, 5 de maio de 2008

36º Festival Nacional do Jericos em Panelas - PE

História
O asno (Equus asinus), chamado ainda de JERICO, burro, jumento, ou jegue, é um mamífero perissodátilo de tamanho médio, focinho e orelhas compridas, utilizado desde tempos pré-históricos como animal de carga.
Origens
Sua origem está ligada a Abissínia, onde era conhecido como onagro ou burro selvagem. Há séculos que é feito o cruzamento entre burro e cavalo, de que resulta um híbrido denominado muar ou mu, com características de ambas as raças: robustez, capacidade de adaptação a caminhos acidentados e a meio ambiente adverso, docilidade; pernas mais longas e, portanto, maior velocidade, maior facilidade de treino.
O macho
(ou mulo) é o indivíduo do sexo masculino resultante do cruzamento de um burro com uma égua, Equus caballus. O animal fêmea resultante do mesmo cruzamento é chamado mula. Entretanto, o cruzamento das mesmas espécies porém invertidos os sexos (portanto cavalo e jumenta), dá origem a um animal diferente, o bardoto.
O Fes- tival de JE- RICOS DE PA- NELAS realmente vale assistir, tendo em vista, que é uma tradição que nasceu para valorizar uma cultura, estes dóceis animais vinham perdendo sua utilidade, devido aos novos meios de transportes e consequentemente sendo abandonados nas estradas, e com estes impulsos foi resgatado à auto-estima dos criadores.
A premiação é de primeira para os ganhadores, tem televisores, uma moto, troféus, etc. É um festival que merece entrar no cenário nacional, com maior divulgação. Falar em divulgação a equipe do Programa Jô Soares, estava registrando o evento, é um orgulho para Pernambuco ter uma cidade do agreste que se destaca, não pelas mazelas, mais por sua versatilidade.












.

A irreverência tomou conta de Panelas, pessoas simples, artistas, maracatu da terceira idade, homenagens, enfim uma festa do Povo, que vale conferir.

O público esperava com bastante ansiedade o início da corrida dos Jericos e a cada bateria a vibração aumentava, é sensacional, se você ainda não foi no próximo ano visite Panelas, a corrida é no dia 1º de maio.

Abre meus olhos para eu vê as maravilhas de tua lei. Sl. 119:18